sexta-feira, 10 de julho de 2009

Educação especial - deficiência física

JORNAL VIRTUAL PROFISSĂO MESTRE
Profissão Mestre – Ano 7 Nº 125– 10/07/2009

Julho, mês de férias. Finalmente um respiro não é mesmo? Todo mundo precisa, com certeza. Contudo, podemos fazer deste momento de descanso também de reflexão.

Hoje e nos próximos 5 JVs teremos a série de textos sobre educação especial, mas não falaremos por falar deste assunto. Como a maioria de vocês, meus colegas e cadastrados, já está sabendo – pois o tema foi escolhido através do Jornal Virtual – lançaremos em breve o DVD Educação Especial. Mais uma vez, como vem acontecendo com os dois últimos DVDs, vocês pediram e nós fizemos.

Enfim, abordarei nesta série três deficiências, a física, visual e a intelectual, dois transtornos, de Rett e autismo e uma síndrome, a de Down. A intenção é mostrar as instituições que trabalham com estes alunos especiais, pois cada uma mexeu comigo de uma forma muito pessoal, que gostaria de compartilhar com vocês. Todas elas nos ajudaram muito com o DVD com seu conhecimento maravilhoso da área, carinho e atenção. Fizemos visitas (às que são aqui de Curitiba), conversamos e pudemos contar com uma contribuição fabulosa – que vocês vão poder conferir no DVD. Bom, comecemos com a Nabil Tacla, de Curitiba. Boa leitura.

Nabil Tacla

“A Associação Paranaense de Reabilitação (APR) é uma instituição beneficente, sem fins lucrativos, voltada ao tratamento das crianças portadoras de deficiêia físico-motora. Na época em que foi fundada, na década de 60, o problema era o surto de poliomielite – a paralisia infantil, hoje já erradicada do Brasil – e a APR era a única instituição paranaense que oferecia atendimento médico gratuito para essas crianças, que podiam, inclusive, morar na instituição. Hoje, as crianças não dormem mais na APR e o tipo de doença atendida também mudou. Todos os pacientes da instituição são portadores de deficiência físico-motora com diagnósticos de paralisia cerebral, distrofia muscular progressiva, mielomeningocele e malformação congênitas.”, retirado do site www.apr.org.br.

Estivemos lá na sexta passada, dia 3, para gravar um pouquinho da escola. Fiquei encantada com o carinho das crianças com as funcionárias e professoras e vice-versa. Todas com largos sorrisos nos rostos, dispostas para ir à escola mesmo no último dia de aula do semestre e depois de uma festa junina no dia anterior na escola. E não eram poucos na escola neste dia não...

As próprias crianças estavam tão animadas em participar do DVD que me emocionei. Um deles, o Lucas, falou assim para mim: “Ainda bem que cortei meu cabelo ontem”, ajeitando-se para aparecer em frente às câmeras. Quer coisa mais fofa?!

A estrutura deles é boa, com sala de fisioterapia, de informática contendo, inclusive, computadores adaptados, salas de aula com poucos alunos por classe para um atendimento específico. Além de materiais prontos, eles também desenvolvem muitos lá mesmo, os próprios professores e terapeutas; materiais que podem, sim, ser confeccionados em qualquer escola, com qualquer tipo de material, por qualquer profissional que esteja disponível para tal. Vontade é sempre a palavra-chave. A professora Josimere falará e mostrará alguns deles no DVD.

Para você professor, pai, mãe, que tem um vizinho ou parente com deficiência física e precisa de ajuda também, está meio perdido em como deve ser o tratamento e educação dessa pessoa, entre em contato com a Nabil através da diretora Valéria, pelo e-mail valeria@apr.org.br ou nabiltacla@apr.org.br. Com certeza, eles poderão te ajudar. Sua sede é em Curitiba, mas para ajudar não existem barreiras, certo?

Gostaria também de convidá-lo a conhecer a instituição: Rua dos Funcionários, 805, Cabral - Curitiba – PR. Fone: [41] 3013-9300. Por ser uma instituição que vive de caridade e têm em torno de 240 alunos, ajuda é sempre bem-vinda. Para quem puder, por favor entre em contato com a diretora, a professora Valéria, por meio dos e-mail acima. Acredito que se tivessem mais recursos, a escola poderia melhorar muito. Eles já têm alguns parceiros, mas nunca é demais ajudar.

Um abraço e bom final de semana!

Nenhum comentário:

Postar um comentário