sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Eu não posso estar sozinha!

Esse texto foi enviado no Jornal Virtual Profissão Mestre Ano 6 Nº 82 – 27/08/2008

"Semana passada li mais uma reportagem nada animadora sobre a educação do nosso país. Você também deve ter visto, matéria de capa da revista Veja de 20 de agosto. Não sei bem quais palavras descreveriam melhor a sensação que tenho ao saber de nossa situação: seria tristeza, por tudo o que deixamos de realizar; talvez culpa – será que minha parte é maior do que eu imagino? Descrença de que existam pessoas que realmente não achem que educação é algo precioso, importantíssimo para toda uma nação. Também tem a frustração por trabalhar nesta idéia de que professores são parte essencial da sociedade e os próprios (alguns? Maioria?) não se valorizam!

Gostaria de saber se isso é coisa da minha cabeça, se outras pessoas também pensam como eu... Não é possível que ninguém se preocupe! Não vou acreditar nisso! Não posso!

“A nova geração não quer saber de estudar.” Ã? Há quem diga isso. Contudo, não quer mesmo ou não tem uma trilha para seguir? Sim, porque a pesquisa – e ela foi realizada em escolas públicas e particulares, ouvindo professores, pais e alunos, para que não haja nenhum argumento do tipo – mostra que a maioria, não sei se posso dizer, esmagadora, acredita que está tudo “ótimo ou bom”, que “os professores são adequadamente preparados para dar aula”, que a escola de hoje “prepara adequadamente para o futuro”.

Eu tenho muitas perguntas e pouquíssimas respostas. Também não adianta apenas respondê-las, é preciso fazer algo para mudar. E não vou jogar 100% da culpa no governo. Não é verdade! Vamos copiar para relembrar uma parte do texto: “ela foi realizada em escolas públicas e particulares, ouvindo professores, pais e alunos”. Para mim, esses sim são os que devem parar um pouco para pensar no que estão fazendo.

Pais, por favor, o que está acontecendo? Por que os filhos não são mais sua prioridade? A culpa é do trabalho, é preciso sustentar a casa... e o que vai sustentar a vida dos futuros adultos, profissionais, pais...? Quais os valores que vamos deixar para nossos filhos? Ok, o videogame é legal, divertido, mas o que será que leva uma pessoa a imaginar, sonhar, planejar? Livros! Leitura. Conversa entre família. Escola que dá prazer. Professores que têm como missão (seria mesmo esta palavra?) ensinar e aprender todos os dias. Principalmente aprender todos os dias. E sempre, cada vez mais.

Aí voltamos para a pesquisa: 90% dos professores se acham preparados para dar aula. Posição 52 e 53 em um ranking com 57 países. Ah se você pudesse ver minha expressão agora... Para tentar descrevê-la, mais um ponto de interrogação bastaria, mas cansei de utilizá-lo neste texto.

Reflexão, esta é minha intenção com o texto de hoje. O que cada um pode fazer para ajudar? Qual é o melhor caminho e atitude a seguir?

Depois deste desabafo (desculpe, meu caro leitor), uma boa notícia – para talvez os 10% que ainda restam: ficou pronto o DVD que você ajudou a escolher! DVD Gerenciamento de Sala de Aula. É com muito orgulho que gostaria de apresentar o nosso novo material, com um conteúdo pesquisado com muito cuidado – e não é porque o roteiro é meu não hein?! :) – e sempre direcionado a ajudá-lo em seu dia-a-dia.

Como foi você que escolheu o tema, nada mais justo que receba um preço especial por este produto."

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Vou-me Embora pra Pasárgada

"Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada
Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d'água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
— Lá sou amigo do rei —
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada."

Texto extraído do livro "Bandeira a Vida Inteira", Editora Alumbramento – Rio de Janeiro, 1986, pág. 90

Alguém sabe o caminho?

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Mais uma do Rubem

"O meu mundo tinha coisas demais.

E eu queria experimentar todas. Daí a minha agitação. Sentia-me como uma borboleta, num jardim... [...] Se fosse hoje, acho que me levariam a um psicólogo que diagnosticaria hiperativismo, Mas... que podia eu fazer? Eu não era hiperativo.

O mundo é que era hiperinteressante"

Rubem Alves

"Cada momento de alegria, cada instante efêmero de beleza, cada minuto de amor, são razões suficientes para uma vida inteira.

A beleza de um único momento eterno vale a pena todos os sofrimentos"

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Em dívida... com quem?

Nossa! Julho, Agosto, Setembro... 3 meses sem uma palavra aqui... seria falta do que escrever ou pra quem escrever?

Nenhuma coisa nem outra. Tenho feito várias atividades, produzido muito e coisas muito interessantes, sem modéstia. E também não me faltam ouvintes... Pelo Jornal Virtual, mas de 170 mil pessoas me "ouvem", me respeitam, refletem comigo, se comunicam comigo como meus amigos antigos, velhos e bons de sempre!

Adoro essa comunidade que cada dia está maior e mais especial, mais próxima, mais participativa...

Agora estou em outro projeto, no Educação 2009. Um filhão enorme, cheio de "saúde". Mais um orgulho pra mim, que o tenho feito com carinho e cuidado, cuidando de cada detalhe.

Esse ano ele está mais que especial: primeiro, porque é a primeira vez que eu sou "quase" mãe única, pois nos 2007 e 2008 fiz revisão e no segundo também participei da edição. Dessa vez estou indo da escolha do adesivo, da pauta (pauta base desenvolvida em conjunto com a Thaís), pesquisa, desenvolvimento de perguntas e sequencia, escolha dos participantes, edição até a revisão.

Mas teremos mais uma surpresinha... só em novembro ; )

É isso!

Passo depois com mais novidades.

Até