segunda-feira, 30 de junho de 2008

Fotos





Hoje vou fazer um fotolog... são imagens do meu próximo trabalho. Logo falo mais dele...

segunda-feira, 16 de junho de 2008

?

Pra mim, o dia de hoje resume-se ao título deste post...

Logo cedo, um frio de rachar. Nenhuma surpresa, pois a noite já dava sinais de frio intenso. Nem com os óculos escuros meus olhos conseguiram ficar livres do vento gelado desta cidade.

Sai atrasada para o trabalho - como sempre - e, ao chegar no ponto de ônibus, lotado. Ótimo! Aquele entulha e empurra-empurra de gente. Hoje tive mais sorte, achei um lugarzinho pra mim e logo depois consegui sentar (um milagre).

Aí começa a parte "?". Uma parte do ônibus (a que eu estava, por sorte) não tinha tantas pessoas socadas... já na parte seguinte, um aperto, pessoas gritando, se espremendo, ouvi até uma mulher falar que ia acabar perdendo seu bebê... horrível. Geralmente é assim, mas hoje o clima estava pesado.

Nas ruas, trânsito parado em uma região em que isso não costuma acontecer.

Ao descer do ônibus, mais uma coisa estranha: muitas pessoas, contudo, o silêncio na rua era impressionante. Parecia o som da noite, da madrugada, nada, nenhum...

Ok, nada de muito espetacular, talvez só uma sensação minha mesmo. Ou não.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Minha vida

Estou com essa música na cabeça há alguns dias... Aí vai...

Minha vida
Rita Lee
Composição: John Lennon E Paul Mc CartneyTem lugares que me lembram

Minha vida, por onde andei
As histórias, os caminhos
O destino que eu mudei...

Cenas do meu filme
Em branco e preto
Que o vento levou
E o tempo traz
Entre todos os amores
E amigos
De você me lembro mais...

Tem pessoas que a gente
Não esquece, nem se esquecer
O primeiro namorado
Uma estrela da TV
Personagens do meu livro
De memórias
Que um dia rasguei
Do meu cartaz
Entre todas as novelas
E romances
De você me lembro mais...

Desenhos que a vida vai fazendo
Desbotam alguns, uns ficam iguais
Entre corações que tenho tatuados
De você me lembro mais
De você, não esqueço jamais...

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Refletir


"O mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando"

Grande Sertão: Veredas

terça-feira, 10 de junho de 2008

Como escolho meus amigos

Escolho os meus amigos não pela pele ou por outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero o meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero-os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho os meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta.
Não quero só o ombro ou o colo, quero também a sua maior alegria.
Amigo que não ri conosco não sabe sofrer conosco.
Os meus amigos são todos assim: metade disparate, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade a sua fonte de aprendizagem, mas lutam
para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos, nem chatos
Quero-os metade infância e outra metade velhice.
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham
pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois vendo-os loucos e santos, tolos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que a
normalidade é uma ilusão imbecil e estéril.
"Que a felicidade não dependa do tempo,
nem da paisagem, nem da sorte, nem do dinheiro.
Que ela possa vir com toda a simplicidade, de dentro para fora, de cada um para todos.
Que as pessoas saibam falar,calar e acima de tudo ouvir para que tenhamos certeza de que viver
vale a pena."

Oscar Wilde

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Meio

Já estamos no meio do ano. Passou muito rápido, como tem passado os dias, semanas... veja, hoje já é sexta-feira!

Já, já, já... e também ainda...

Ainda tem muita coisa para acontecer, ainda muita coisa continua igual, ainda temos que ver as mesmas notícias na TV, ainda a desgraça prevalece...

Repare nos jornais televisivos, por exemplo, a parte negativa prevalece. Quando terminam dá uma sensação de alívio e ao mesmo tempo um peso na consciência: será que estamos fazendo nossa parte?

Eu acredito que faço a minha. Tanto na parte social, com pessoas, quanto na ambiental, ajudando nosso planeta e, conseqüentemente, também as pessoas.

Às vezes até me acho meio chata, mas sei que estou fazendo a coisa certa! Lutando pelo futuro, meu e dos meus filhos, amigos, vizinhos...

Enfim, meio do ano, meio em que vivemos, meio chata... mas completamente feliz!